Descubra Salvador

Primeira capital do País, Salvador ostentou o título por mais de 200 anos entre os séculos 16 e 18. Desse período, acumulou história e herdou uma rica arquitetura. Parte disso está representada pelo emaranhado de casarões (mais de 800!) e igrejas que compõem o colorido Pelourinho, na parte alta da capital baiana. Ali, carros não têm vez, então, é um vaivém de gente pelas ladeiras, principalmente turistas que estão explorando atrações, bares, lojas e restaurantes.

Durante o passeio, é essencial fazer uma pausa para provar clássicos da culinária baiana. Frutos do mar aparecem em diversos pratos como as moquecas e o acarajé (o bolinho de feijão-fradinho servido com camarões, molho de pimenta e vatapá). O sabor do azeite de dendê está presente em grande parte das receitas que associamos ao estado e é uma herança do povo africano que ajudou a traçar a cultura local.

De volta ao programa cultural no Pelourinho, um dos destaques da área é a igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, construída no século 18, que traz elementos da cultura africana para as missas católicas, como os atabaques.  Ainda na região, está o antigo casarão colonial em que o autor Jorge Amado viveu com sua esposa Zélia Gattai, aberta ao público em 2014. Quem curte museus também pode visitar o Museu de Arte Moderna, cujo acervo reúne obras de Portinari, Di Cavalcanti e Tarsila do Amaral. Ele funciona no Solar do Unhão, uma antiga fazenda do século 17, que está na parte baixa da cidade.  

A forma mais tradicional de transitar entre as áreas alta e baixa de Salvador também é um cartão postal. O Elevador Lacerda, inaugurado nos anos 1870, tem cerca de 60 metros de altura e conta com janelas panorâmicas para os turistas avistarem a Baía de Todos os Santos durante o sobe e desce.

Já na área mais próxima do nível do mar, o roteiro inclui o Mercado Modelo, principal centro de artesanato da cidade, e atrações sacras como a Igreja de São Francisco, celebrada pelo interior coberto de ouro e pelo pátio do seu convento que abriga painéis de azulejos portugueses. Além, é claro, da Igreja do Bonfim, famosa pelas fitinhas do santo que as pessoas colocam nas grades, criando um paredão multicolorido. E é em janeiro, antecedendo a chegada do cortejo de baianas durante a Festa Senhor do Bonfim, que acontece a tradicional lavagem das escadarias.

No quesito praias, a praia do Farol da Barra tem piscinas naturais e mar calmo, mas a areia, no entanto, é bem disputada. Para uma vibe mais tranquila, há as praias de Itapuã, Stella Maris e do Flamengo, a pelo menos 20 quilômetros de Salvador na costa leste do estado. Já a do Buracão, 20 minutos ao sul, é marcada pelas boas ondas.

Com dias livres no roteiro, é possível explorar os arredores da capital baiana e descobrir cenários naturais incríveis. A vizinha Ilha de Itaparica, a uma hora e meia de balsa desde a capital, tem de construções coloniais da cidade homônima ao destino a belas praias do município Vera Cruz. Ela é maior da Baía de Todos os Santos, que também abriga a pequena e charmosa Ilha dos Frades - que compreende praias de águas tranquilas para a prática de stand up paddle, por exemplo.

Outro passeio bem comum é fazer o bate-volta até Morro de São Paulo, na ilha de Tinharé: quase todos os dias, diversas empresas fazem o trajeto de Salvador até lá em catamarãs. Uma das estrelas locais é a Praia de Gamboa

Galeria de Imagens

Melhor época para viajar

Salvador quase nunca fica sem sol e os termômetros dificilmente estão abaixo dos 20oC, por isso a capital baiana recebe visitantes em todas as estações. Contudo, ela ferve mesmo durante o carnaval extremamente animado, rivalizando com capitais como Recife, Olinda e até Rio de Janeiro. Já a Festa Senhor do Bonfim anima a cidade em janeiro.

Como chegar

O Aeroporto Internacional de Salvador, chamado Deputado Luís Eduardo Magalhães, está a 28 quilômetros do Pelourinho, a 25 do bairro Rio Vermelho e a 30 do Farol da Barra. Já para chegar a Praia do Forte, são 60 quilômetros. Ele está nos limites da capital baiana, perto do município Lauro de Freitas. 

Onde ficar

O bairro do Rio Vermelho, a 5 quilômetros da praia do Farol da Barra, tem vida noturna, boas lojinhas e restaurantes, além de fácil acesso à orla. Já na própria área da Barra,  ficam hotéis mais antigos e o turista pode ficar pertinho da praia. A região do Pelourinho tem diversas opções de hospedagem em charmosas casas coloniais, mas apesar da vantagem de estar perto das principais atrações históricas de Salvador, pode não ser muito seguro depois do anoitecer.

Dica do especialista

Mesmo com apenas três dias é possível conhecer os principais cartões postais de Salvador. Contudo, é melhor reservar cinco ou sete dias para curtir a capital baiana com calma e esticar as férias até a Praia do Forte. Em Salvador, reserve um fim de tarde para ver o incrível pôr do sol no Solar do Unhão, uma antiga fazenda do século 17, à beira da Baía de Todos os Santos. É inesquecível.

Saiba como chegar
 
Cadastre-se em nossa Newsletter
OK
Cancelamento Gratis

Cancelamento Grátis

Consulte condições

Atendimento Whatsapp

Fale Agora

WhatsApp

(21) 99971-2120

Seg-Sex 9h às 18h

Voltar ao Topo
Fechar