Descubra Recife

A cada ano que passa Recife se firma como uma das capitais mais ecléticas do nordeste; com um cenário rico gastronômico, vida cultural ativa e, claro, belas praias..

A vocação como destino litorâneo é reforçada pelos dias ensolarados quase o ano inteiro, que permitem ao turista aproveitar praias como a da Boa Viagem. Ela tem sete quilômetros de extensão e uma barreira de recifes que forma piscinas naturais na maré baixa. Mais ao norte, está a tranquila Praia do Pina e, ao sul, já no município de Jaboatão dos Guararapes, fica a praia Piedade.

Essa costa, aliás, foi alvo de disputas entre holandeses e portugueses. A história e o passado da capital pernambucana são contadas no Museu do Estado de Pernambuco (Mepe), cujo acervo tem mais de 14 mil peças; e no o Museu da Cidade do Recife, instalado em uma construção holandesa de 1630.

Com mais de 1,5 milhões de habitantes, Recife também é berço de alguns nomes importantes para o cenário artístico brasileiro. A lista inclui o pintor Romero Britto, o escritor Gilberto Freyre (que ganhou uma fundação no bairro Apipucos) e o rei do baião, Luiz Gongaza. O cantor é tema do sensorial Museu Cais do Sertão.

Outro endereço que celebra a cultura local é o Paço do Frevo, dedicado a perpetuar e apresentar a intensa dança recifense em um espaço com área expositiva e até aulas. Também é interessante conhecer a Embaixada de Pernambuco dos Bonecos Gigantes de Olinda, no Recife Antigo. É uma oportunidade para admirar os símbolos carnavalescos, mesmo fora da época da folia.

Toda essa cultura singular da capital se materializa no colorido artesanato local, com seus bonecos de barro, carrancas esculpidas em madeiras, livrinhos de cordel e bonecos que remetem aos gigantes do Carnaval. No Mercado de Artesanato de Pernambuco, no Recife Antigo, há um pouco de tudo. Bom lugar para finalizar o dia depois de caminhar pelas construções coloniais, do século 19, que caracterizam o bairro.

O roteiro cult estende-se ainda à Capela Dourada em Santo Antônio; à Oficina Brennand, na Várzea; e ao bairro de Boa Vista, onde está o Museu de Arte Moderna Aluísio Magalhães e o famoso enfileirado de casinhas coloridas da rua Aurora.  A vista dessa via, às margens do rio Capibaribe, é uma das mais fotografadas durante o passeio pelas águas de Recife, a “Veneza brasileira”. Banhada pelos rios Capibaribe e o Beberibe, a capital Pernambucana ganhou o titulo pelo número de pontes e viadutos sobre as águas. Só que, aqui, as gôndolas dão lugar aos catamarãs para passeios turísticos.  

Galeria de Imagens

Melhor época para viajar

Recebendo turistas o ano todo, Recife tem clima quente e úmido, com temperatura média de 26oC. O período de setembro a maio, quando o sol aparece constantemente, é o mais procurado. Contudo, o auge da movimentação é durante o carnaval, pois tanto a capital de Pernambuco quanto a vizinha Olinda têm comemorações muitos famosas: a primeira com o Galo da Madrugada e a segunda com o desfile de bonecos gigantes e o frevo. Mesmo entre junho e agosto, quando as chances de chuva aumentam, Recife ainda é bastante quente e costuma oferecer momentos de dia claro para curtir em frente ao mar.

Como chegar

O Aeroporto Internacional do Recife é o Gilberto Freyre, também conhecido como Guararapes, e fica próximo ao bairro da Boa Viagem. Ele está a 20 minutos da região central, a 10 quilômetros do Mercado de São José e a 13 quilômetros da Praça Rio Branco. Já a cidade vizinha Olinda está a 22 quilômetros e Porto de Galinhas, a 49 quilômetros.

Onde ficar

A região do bairro Boa Viagem concentra a maior parte dos hotéis de Recife. Ali, além da praia, o turista conta com uma grande variedade de bares e restaurantes. Para quem prefere focar na vertente histórica da capital Pernambucana, a área central também oferece boas opções de acomodações. 

Dica do especialista

Com sete dias, é possível conhecer com calma Recife, Olinda, e esticar o passeio até Porto de Galinhas. No entanto, isso não é regra. Afinal, cinco ou três dias também são suficientes para visitar as principais atrações. Não deixe de visitar a Casa da Cultura, o antigo presídio, que hoje abriga cerca de 150 lojas de artesanatos, livrarias e lanchonetes. Lá você vai encontrar os famosos bolos de rolo e peças de roupas rendadas, além da tradicional literatura de Cordel.

 
Cadastre-se em nossa Newsletter
OK
Cancelamento Gratis

Cancelamento Grátis

Consulte condições

Atendimento Whatsapp

WhatsApp

(21) 99971-2120

Seg-Sex 9h às 18h

Voltar ao Topo
Fechar