Descubra Miami

Limitar Miami como destino de compras é o grande erro de muitos viajantes. De fato, a cidade americana está cheia de shoppings à la Sawgrass Mall, outlets e vias como a badala Lincoln Road – que a poucos passos de distância uma da outra, tem lojas como H&M, Apple e Lacoste. É irresistível querer voltar de viagem com a mala cheia. Por outro lado, uma coisa é certa: Miami tem muito mais a oferecer (ainda bem!).

 A começar pelas praias banhadas pelo Oceano Atlântico. As mais legais estão em Miami Beach que, na verdade, é uma cidade vizinha de Miami. Grudada, já é vista com parte integrante do destino pelos turistas e isso faz bastante sentido na pratica por conta da proximidade. Ali a South Beach é um dos trechos de orla mais concorrido. Tem boa infraestrutura, além de diversos hotéis que oferecem serviços de praia aos hóspedes. Quem prefere mais sossego pode optar pela Central ou North Beach.
  
E é nessa região, acompanhando as águas, que está a Ocean Drive. Via famosa pelos carros retrôs diante das fachadas de bares e restaurantes decoradas com neón. Mesmo quem não se arriscar a comer por ali, pode passar depois do entardecer para tentar capturar o panorama multicolorido em uma foto.
  
Os cenários de Miami mudam bastante dependendo da região. Downtown, que um dia foi essencialmente empresarial, hoje tem casas de espetáculo como o Adrienne Arsht Center, restaurantes cobiçados e bons hotéis. Está ficando mais cool, como prova a Freedom Tower, que surgiu como sede de jornal e hoje é casa do MDC Museum of Art + Design focado em artes visuais. Tem instalações, fotografias, esculturas da Pop Art, arte contemporânea, entre outros.
  
Ao norte dali, o bairro de Wynwood está ainda mais repaginado. A área já esteve meio decadente, mas hoje é reduto dos artistas moderninhos e pessoal descolado. Tem muros e fachadas cobertos com street art assinados por artistas de diversos cantos do mundo. Nós brasileiros somos representeados pelo Kobra e Osgêmeos. Ali, tudo começou no Wynwood Walls, um pátio com galpões industriais que ganharam a roupagem colorida que hoje é sinônimo da área.
  
Little Havana tem uma paisagem totalmente diferente, pois parece um pedacinho da capital de Cuba. Principalmente a Calle Ocho com vendinhas, bares, lanchonetes e charutarias bem latinas. E o roteiro por ali ainda deve incluir passadinha na Calçada da Fama, versão apenas com assinatura de artistas cubanos famosos, como Gloria Estefan; o Domino Park onde velhinhos jogam dominó; e o Memorial em homenagem àqueles que lutaram na Invasão da Baia dos Porcos.
    
O Art Deco District é outra área cartão-postal, com suas construções baixas em tom pastel que já têm o título de Patrimônio Nacional e um museu em sua homenagem, o Arte Deco Museum. O estilo arquitetônico da área foi muito popular na década de 30 e, agora, são cerca de 800 construções preservadas. Os amantes de museus ainda devem reservar algumas horas da viagem para visitar, pelo menos, o Pérez Art Museum Miami que recebe exposições temporárias dedicadas a arte moderna; e o The Patricia & Philip Frost focados em arte das Américas produzida entre os séculos 20 e 21.
 
Entretanto, não é só de arte moderna e contemporânea que sobrevive o cenário cultural da cidade. O Lowe Art Museum, por exemplo, tem obras de Goya e Monet no seu acervo de quase 18 mil peças. Diversificado, compreende de arte egípcias a belos exemplares do movimento barroco e renascentista. Outro endereço interessante de Miami é o Viscaya – Museum and Gardens, uma propriedade com belos jardins que rodeiam o palacete de ares europeus. Do começo do século 20, a construção funciona como museu, reunindo mobília e objetos da época.  

Galeria de Imagens

Melhor época para viajar

Miami tem clima tropical e época mais quente é entre julho e agosto: os termômetros alcançam facilmente a marca de 30oC e ás águas locais ficam morninhas. De outubro a março, o tempo esfria e a possibilidade de chuvas diminui. Ao longo do ano, a cidade recebe diversos eventos artísticos como a Art Basel, que acontece anualmente, em dezembro, atraindo artistas, apreciadores e profissionais da área. 

Como chegar

O Miami International Airport (MIA) está relativamente perto das principais atrações de Miami: o trajeto até centro, por exemplo, leva menos de 20 minutos. Ele está a 6 quilômetros de Little Havana, a 17 quilômetros do Art Deco District e 18 quilômetros de Miami Beach. 

Onde ficar

Para escolher em que região de Miami é melhor se hospedar, o turista deve ter em mente o que pretende priorizar na programação. Quem quer curtir a vertente cultural da cidade americana, deve optar por Downtown. Dali, o acesso é fácil a diversos museus e galerias, além disso, é bem provável que o hotel eleito esteja a uma curta distância de bares e restaurantes. Por outro lado, se a prioridade é curtir dias de ócio e diversão na praia, não tenha dúvidas de que Miami Beach é uma excelente alternativa.

Dica do especialista

Boa notícia para quem curte artes é saber que diversos museus de Miami contam com dia de entrada gratuita, pelo menos uma vez por mês. O turista deve entrar no site dos que planeja conhecer, verificar se eles têm acesso liberado e quais os dias certos para economizar no ingresso. 

Programando sua viagem para Miami, vale a pena combinar na mesma viagem uns dias em Orlando. De Orlando a Miami são 380 km, que você faz entre três horas e meia e quatro horas. Fazendo essa opção, não se esqueça de comprar seu voo de chegada e saída conforme sua programação de viagem para você não ter que voltar a umas das cidades apenas para pegar o avião de volta.

Saiba como chegar
 
Cadastre-se em nossa Newsletter
OK
Cancelamento Gratis

Cancelamento Grátis

Consulte condições

Atendimento Whatsapp

Fale Agora

WhatsApp

(21) 99971-2120

Seg-Sex 9h às 18h

Voltar ao Topo
Fechar