Descubra Fernando de Noronha

No arquipélago de Fernando de Noronha, a 545 quilômetros do continente, é a contemplação da natureza que dá o tom da viagem. Afinal, são inúmeras praias e baías espalhadas pelos seus 26 km² de extensão. Das vinte e uma ilhas que compõem o destino pernambucano, a maior e única habitada também se chama Fernando de Noronha. Ela é a base dos visitantes e concentra a vida social do local na Vila dos Remédios, onde está a maior parte da lojas, hotéis e restaurantes, além de endereços como a Igreja Nossa Senhora dos Remédios e o Palácio São Miguel.  

Desse centrinho, algumas das praias com acesso mais fácil são a do Cachorro, que conta com uma fonte de água doce; a do Meio com piscinas naturais em meio a pedras quando o mar está manso; e a da Conceição, point de surfistas na época de maré alta. O trio faz parte do que é chamado “mar de dentro”, parte da costa voltada para o Brasil, onde as águas costumam ser mais tranquilas, por que sua localização as protege da ação dos ventos.  

Ainda neste trecho do lado continental, existem paradas que exigem mais do turista, como a Baía dos Porcos. É preciso encarar uma caminhada pelas pedras para chegar até lá e ser recompensado com a visão do Morro Dois Irmãos diante da prainha de piscinas naturais. Já na Baía do Sancho, que constantemente figura como a mais bela praia do Brasil com suas imponentes falésias, é possível chegar a bordo de um barco ou então por trilhas.  

Em contraponto ao “mar de dentro”, o arquipélago possui também uma parte da costa voltada para a África, área que recebeu o nome de “mar de fora”. Neste lado, as águas costumam ser mais agitadas, com exceção de alguns pontos cercado por arrecifes e pedras. A Praia do Leão, por exemplo, tem algumas piscinas perto da costa, dependendo da maré. O mesmo acontece em meio as pedras negras da Praia de Atalaia – mas ali, quando a maré sobe, formam-se esguichos dentro do mar.    

Para quem gosta de mergulhar com cilindro, Fernando de Noronha também se firmou como um importante destino, afinal, suas águas transparentes oferecem visibilidade de até 50 metros na horizontal – a melhor época para a prática do esporte é entre setembro e outubro. Apesar do acesso relativamente complicado, a Ponta da Sapata é dos melhores lugares para explorar o universo submerso, pois além da rica vida marinha, é onde aconteceu um dos naufrágios mais famosos da região. 

O arquipélago de Fernando de Noronha recebeu o título de Patrimônio Mundial da Natureza pela Unesco. Conhecer esse paraíso de águas claras e areias dourada é uma viagem inesquecível.

Melhor época para viajar

É possível aproveitar Fernando de Noronha durante o ano todo, já que a temperatura média é de 26oC. No arquipélago existem, basicamente, duas estações: a seca (entre setembro e março) e a chuvosa (de abril a agosto). Contudo, mesmo na época mais propensa às chuvas, elas não são constantes e o sol sempre aparece. 

Como chegar

As únicas cidades com voos diretos a Fernando de Noronha são Recife, a 545 quilômetros, e Natal, a 360 quilômetros. A partir das duas capitais, o trajeto leva cerca de uma hora até o Aeroporto de Fernando de Noronha. Ele está a 4 quilômetros da Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, a 3,5 da praia da Conceição e a 6 da Praia do Porto de Santo Antônio. Também é possível chegar ao arquipélago pelo mar, a bordo de cruzeiros que costumam passar pelo destino entre outubro e fevereiro.

Onde ficar

Em Fernando de Noronha é comum se hospedar na Vila dos Remédios, o centrinho, pois o turista fica perto de diversos restaurantes e lojas. Outro benefício é a proximidade de praias como a da Conceição e do Cachorro. Já as áreas Vila do Trinta e a Floresta Nova, ambas a dez minutos de caminhada do centro, também oferecem boas opções de hospedagem, apesar de estarem um pouco mais distantes da costa. 

Dica do especialista

Para visitar Fernando de Noronha, é preciso pagar a Taxa de Preservação Ambiental que varia de acordo com o período de permanência - o ideal é reservar, pelo menos, cinco dias para curtir o destino. Isso pode ser feito no aeroporto, mas se quiser agilizar o processo de entrada na ilha, o ideal é preencher as fichas e realizar os pagamentos pela internet no site oficial (www.noronha.pe.gov.br). Lembrando que, se optar pelo online, as guias de identificação, o boleto bancário e a Ficha de Controle Migratório precisam ser emitidos e impressos em um único processo cadastral para que todos apresentem o mesmo número de identificação (não dá para começar de manhã e terminar à tarde, por exemplo). Além disso, o Parque Nacional Marinho Fernando de Noronha, que compreende diversas praias e ilhas do arquipélago, como as praia do Sancho e a Praia do Leão, também cobra uma taxa para receber turistas. 

 
Cadastre-se em nossa Newsletter
OK
Cancelamento Gratis

Cancelamento Grátis

Consulte condições

Atendimento Whatsapp

WhatsApp

(21) 99971-2120

Seg-Sex 9h às 18h

Voltar ao Topo
Fechar