Descubra Cuba

Cuba é um dos destinos mais cobiçados do Caribe e a melhor forma de conhecer a ilha é com clássica dobradinha da histórica capital Havana e as belas praias de Varadero. Complementares, os dois destinos conseguem apresentar as principais vertentes do país em roteiro fácil de fazer, pois estão apenas a 150 quilômetros uma da outra
    
Porta de entrada, a capital costuma ser também a primeira parada da viagem. O cenário mais simbólico é o da região de Habana Vieja, emaranho de ruas com prédios datados entres os séculos 16 e 19 (muitos com estado de conservação duvidoso, mas ainda assim charmosos) e carros antigos que circulam pelas vias.
 
 A região compreende alguns dos mais importantes cartões-postais cubanos: a Catedral de La Habana, a Plaza das Armas onde está o Palácio de Los Capitanes Generales e o Capitólio. O Museo Nacional de Bellas Artes também é interessante. Ele funciona em dois prédios, um para apresentar obras de arte internacional e o outro exclusivo para nomes cubanos como René Portocarrero.
  
O programa cult inclui ainda momentos relax com direito aos famosos drinques feitos com rum cubano: a cuba libre, o mojito e o daiquiri. Afinal se até o escritor Ernest Hemingway, que morou por anos em Cuba, se rendeu e disse  “Mi mojito en la Bodeguita... y mi daiquirí en el Floridita “. Os dois endereços também ficam na parte antiga da capital e, no salão do bar El Floridita, o destaque é uma estátua em homenagem ao autor. Depois, o programa etílico poder continuar em um bar ou cervejaria da Plaza Vieja.

Apesar de estar do outro lado da Bahia, o Parque Histórico Militar Morro-Cabaña foi declarado Patrimônio da Unesco junto com Habana Vieja. O complexo de fortalezas marca a área onde, antigamente, fechavam-se os portões da cidade que já foi amuralhada para proteção. Aos finais de tarde, promove a cerimônia conhecida como cañonazo, com atores trajando uniformes militares dos séculos passados e disparo de canhão.

Para curtir o roteiro cultural é preciso ter em mente os principais momentos históricos de Cuba: colonizada pelos espanhóis, tornou-se independente no século 19 com a ajuda dos Estados Unidos e, depois, cortou relações com país norte-americano quando aconteceu a implantação do socialismo por conta da Revolução Cubana.  Com figuras importantes como Fidel Castro e Che Guevara na linha de frente, esse movimento é amplamente retratado no Museu da Revolução, que ocupa o prédio de Habana Vieja onde o então presidente de Cuba, Fulgencio Batista, perdeu o poder.
  
Outra atração que remete ao episódio é a Plaza da Revolución, já na parte nova da capital. Em frente á ela está um dos pontos mais fotografados da capital, o prédio adornado com o rosto de Che e uma de suas frases celebradas: “Hasta la Victoria siempre”. Além disso, é comum ver muros e fachadas por toda a cidade ostentando imagens dos revolucionários.
  
E ainda é preciso ter fôlego para jantar ou tomar um drinque enquanto escuta hits cubanos como Guantanamera em um dos diversos bares e restaurantes que contam com shows de música ao vivo. Alguns contam com artistas do icônico e extinto Buena Vista Social Club, clube de música e dança da capital que ganhou fama no mundo nos anos 1940.
  
Mas além da riqueza histórica, Cuba tem em uma posição privilegiada entre o mar do Caribe e o Oceano Atlântico, e Varadero é um dos balneários mais populares da América. A menos de duas horas da capital, ela está ao norte da ilha e, por isso, na costa do Atlântico diante do Estados Unidos. Muitos turistas, no entanto, nem percebem a diferença afinal são quilômetros de praias com areias fininhas, coqueiros e mar de cor intensa.

Ao chegar ao balneário, os viajantes normalmente escolhem um dos diversos hotéis all-inclusive disponíveis e permanecem no empreendimento durante a maior parte da estadia. Cada um tem atrativos que se adequam a diferentes perfis de turistas, com praias, exclusivas, shows, bares, restaurantes, infraestrutura para crianças, área adults only e outras particularidades.
  
Um dos programas mais populares fora dos resorts é o passeio de catamarã até a Praia de Cayo Blanco. Empresas costumam oferecer pacotes de dia inteiro, com almoço servido na areia, bar aberto e atividade extras pelo caminho, como parada estratégica para a prática de snorkel e nado com golfinhos no Delfinario. 

Galeria de Imagens

Melhor época para viajar

Cuba tem basicamente duas estações. Entre novembro e abril é a seca, com médias que variam entre 18oC e 29oC. No restante do ano, de maio a outubro, o tempo fica mais húmido e o clima esquenta: os termômetros registram marcas acima dos 30oC. 

Como chegar

A porta de entrada para a ilha é o Aeroporto Internacional José Martí, a 18 quilômetros de Havana. Ele está a 20 quilômetros da região de Habana Vieja, a 17 quilômetros do Parque Histórica Militar Morro-Cabaña e a 21 quilômetros do Museu da Revolução. Já até Varadero são 160 quilômetros. 

Onde ficar

As melhores opções de acomodação de Havana se concentram em Habana Vieja, Miramar e Vedado. Com opções de hotéis tradicionais, a primeira é área mais antiga da capital e a vantagem de se hospedar por ali é estar próximo de atrações como a Catedral e o Capitólio. Já Vedado e Miramar são as zonas novas da cidade e, portanto, costumam reunir empreendimentos com estrutura mais moderna. Além dos hotéis, as casas particulares (residências de cubanos que recebem turistas) também são uma alternativa de hospedagem, mas bem mais simples e informal.  

Em Varadero, as estrelas da rede hoteleira estão concentradas ao longo dos 22 quilômetros de praia e arredores. Apesar das propriedades mais simples, lá o ideal é optar pelos grandes all-inclusive, com complexa infraestrutura para entreter o turista durante toda a estadia.   
       

Dica do especialista

Viajar para Cuba exige visto, ou melhor, um cartão de turista, emitido pelos consulados da ilha no Brasil, em São Paulo, Salvador, Brasília. Os trâmites podem ser feitos pessoalmente ou pelo correio (as taxas variam dependendo da opção) e é preciso preencher um formulário, todas as informações estão disponíveis no site: cubadiplomatica.cu.

Aos poucos, a ilha está ficando mais aberta a influências externas, mas o acesso à internet é caro e complicado, limitado geralmente a hotéis, e o mesmo ocorre com o uso de cartões de créditos – cartões de bandeira americana, como American Express, não são aceitos. É essencial levar dinheiro para curtir a viagem sem dor de cabeça, principalmente Euro que costuma ter melhor valor de conversão para o CUC, o dinheiro cubano que os turistas devem utilizar.  

Saiba como chegar
 
Cadastre-se em nossa Newsletter
OK
Cancelamento Gratis

Cancelamento Grátis

Consulte condições

Atendimento Whatsapp

Fale Agora

WhatsApp

(21) 99971-2120

Seg-Sex 9h às 18h

Voltar ao Topo
Fechar