Descubra Bonito

Quando se pensa em Brasil, paisagens como as da região de Bonito, no Mato Grosso do Sul, com certeza vem à cabeça. São áreas de mata preservada, lagoas e rios com águas cristalinas, vegetação colorida e fauna de encher os olhos neste destino que está a cerca de 300 quilômetros de Campo Grande, capital do Estado.  
 
Ao chegar a Bonito, o turista se depara com um cenário digno de cidadezinha do interior, aparentemente bem pacata. A via principal é a Avenida Pilad Rebuá, com lojas, pousadas e bares simples pelos seus arredores. São poucos atrativos que ficam de fato no centro da cidade e um deles é o Projeto Jiboia, espaço que explica detalhes sobre serpentes não peçonhentas (como modo de vida e alimentação) e permite que os visitantes interajam com elas.  
 
Contudo, a ideia é a cidade seja a base, funcionando como ponto de partida para os passeios pela região, como a famosa Gruta do Lago Azul, a 20 quilômetros do centro. Lá, o turista faz uma trilha curta e então precisa encarar a descida íngreme, com muitos degraus, até o lago que dá nome à atração e está a 90 metros de profundidade, na gruta repleta de formações como estalactites e estalagmites. É impossível não admirar o contraste das rochas com as águas do lago - sua cor azulada fica ainda mais intensa nas manhãs de dezembro a janeiro, quando o sol incide diretamente no local.  
 
Com o mesmo perfil, mas sem tanta fama, as Grutas de São Miguel, na Reserva Natural Parque Ecológico Vale Anhumas, também são interessantes. O passeio consiste em passar por uma espécie de passarela suspensa - com ótimas vistas da vegetação local - para ter acesso às grutas e então explorar suas formações rochosas.  
 
Outro programa bem característico são as flutuações, ou seja, nadar guiado pela correnteza suave dos rios da região de Bonito para observar a fauna com uma máscara de snorkel. Um dos locais mais propícios para isso é o Rio Sucuri, a 20 quilômetros do centro da cidade. Ele tem águas transparentes que garantes boas visibilidade dos peixes e plantas. Uma vantagem que dá para combinar o mergulho com outras atividades, como passeios de bike, quadriciclo e cavalgadas. Já o Aquário Natural (o Rio Baía Bonita), a menos de dez quilômetros de Bonito, é uma boa alternativa para quem não tem muita experiência dentro d’água e ou percorrer longos caminhos desde o hotel.  
 
O mesmo tipo de atividade ocorre no Rio da Prata, que reúne peixes como dourados, pintados e pacus, a aproximadamente 50 quilômetros de Bonito, na cidade de Jardim. Para chegar ao local, o visitante faz parte do trajeto de carro e depois encara uma trilha de, aproximadamente, uma hora em meia por área de mata nativa. Todo o processo leva cerca de quatro horas e, para aproveitar o deslocamento, dá para visitar também o Buraco das Araras, nas proximidades. O local é uma depressão na terra ocupada por aves que vivem livremente. Ali, o turista pode parar em mirantes para observá-las e fotografar.   
 
Figura recorrente na lista de atrações imperdíveis do destino, a Lagoa Misteriosa também fica na cidade de Jardim. Ela é, na verdade, uma caverna inundada que está entre as mais profundas do País, permite flutuação com snorkel ou mergulho com cilindro: por conta das águas cristalinas, quem está nadando pode ter a sensação de flutuar sobre um abismo. Normalmente essas atividades são precedidas por uma trilha de aproximadamente um quilômetro. 
 
Além disso, quem gosta de entrar na água deve se programar para conhecer também o Parque das Cachoeiras, que fica a 17 quilômetros de Bonito e é banhado pelo rio Mimoso. Ela conta com belas quedas d'água, piscinas naturais áreas verdes, tirolesa e sede com restaurante, loja de souvenires, banheiros e estacionamento - dá para passar horas divertidas em meio à natureza sem preocupações. 
 
Às margens do Rio Formoso, o Balneário do Sol também rende um passeio gostoso para aqueles que querem nadar com peixinhos e se refrescar, mas sem precisar enfrentar um longo deslocamento: está a cerca de 10 quilômetros do centro de Bonito. É lugar estruturado, com restaurantes, churrasqueira, playground, tirolesa, trampolim, quadras de esportes e playground que entretém famílias com crianças e grupos de amigos por horas.   
Por outro lado, se a vontade é curtir uma atividade com mais adrenalina, o Abismo Anhumas é uma ótima opção, que combina aventura e contemplação à natureza. A primeira experiência é uma descida de rapel, de 72 metros, até a entrada de uma caverna - normalmente, há treinamento um dia antes do passeio para preparar os viajantes. Ali está o lago onde podem ocorrer mergulhos e flutuações, de acordo com o desejo de cada pessoa do grupo. Também são alternativas divertidas para o público que curte aventura: os passeios de bote e boia cross pelas pequenas corredeiras e quedas d'água do Rio Formoso. 

Melhor época para viajar

É possível visitar Bonito em qualquer época do ano, mas cada uma tem suas particularidades. No período das chuvas (entre dezembro e abril), pode ser que elas atrapalhem alguns passeios, mas geralmente são pancadas rápidas que também trazem benefícios: o nível dos rios para flutuação fica alto, as cachoeiras têm volume maior de água e é possível ver animais com mais possibilidade. Já no inverno, principalmente em julho, não há tantas chances de chover, mas o nível das águas ainda está bom, contudo, pode ser que as temperaturas estejam mais baixas. O restante do ano tem clima mais agradável para mergulhar, baixo índice de chuvas, mas os rios estão mais vazios - apesar de ainda interessantes.

Como chegar

Para quem vai a Bonito, a opção mais próxima é o Aeroporto Internacional de Campo Grande, na capital do Mato Grosso do Sul, que está a cerca de três horas e meia de distância. Traslados previamente contratados ou carros alugados são as melhores opções para percorrer os 300 quilômetros que faltam para chegar ao destino.

Onde ficar

Bonito não é uma cidade grande e as principais opções de acomodação (pousadas e hotéis) estão concentradas na avenida Pilad Rebuá e seus arredores, área central que é o coração do comércio e vida social do destino. É bom poder ir a pé curtir o burburinho local, já que o turista passa quase todo o dia fora em passeios pela região.

Dica do especialista

Aproveite a estadia em Bonito para provar uma bebida muito popular no Estado de Mato Grosso do Sul: o tereré, feita com mate e água fria, que pode ser acompanhada de limão, hortelã, entre outros. É possível provar em diversos estabelecimentos nos arredores da Avenida Pilad Rebuá.   

 
Cadastre-se em nossa Newsletter
OK
Cancelamento Gratis

Cancelamento Grátis

Consulte condições

Atendimento Whatsapp

WhatsApp

(21) 99971-2120

Seg-Sex 9h às 18h

Voltar ao Topo
Fechar